Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Projeto MOVIMENTA CH

Área do conteúdo

Pesquisa

A seguir, os projetos de pesquisa desenvolvidos por servidores (docentes e técnicos) do Centro de Humanidades:

Departamento de Ciências da Informação

OBSERVATÓRIO PARA DIVULGAÇÃO E POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Área temática: Ciências Sociais Aplicadas
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Maria Giovanna Guedes Farias [mgiovannaguedes@gmail.com]
Equipe: 01 bolsista
Sinopse: Trata-se de projeto de pesquisa, recentemente aprovado pelo Pibic, que tem como objetivo desenvolver diretrizes para a criação de observatório científico, visando a divulgação e popularização do conhecimento científico produzido na Universidade Federal do Ceará. A hipótese é de que a proposição e implementação de um observatório científico de divulgação e popularização da ciência, no âmbito de cada instituição de ensino e pesquisa brasileira, poderia viabilizar ações como: dialogar, alfabetizar, educar e aproximar a população em um movimento pautado na ciência cidadã, de ouvir o que os diferentes grupos sociais desejam e anseiam, pautando a agenda deste programa por esta ótica, ou seja, em uma troca entre a ciência e a sociedade, onde ambos se beneficiam, se retroalimentando constantemente do que é produzido. Espera-se como resultados promover reflexões na comunidade acadêmico/científica sobre a premência em se consolidar programas, canais, ações e formatos já existentes ou a serem criados para popularizar a ciência, contribuindo para a construção do conhecimento ao permitir e estimular o acesso e o uso da informação científica e tecnológica pelos sujeitos dos mais diversos estratos sociais, principalmente para aqueles que vivem em situação de fragilidade social.

TERMINOLOGIA, LINGUAGENS DOCUMENTÁRIAS E VOCABULÁRIOS CONTROLADOS FARMAQUÍMICOS NO BRASIL

Área temática: Informação e Comunicação
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Hamilton Rodrigues Tabosa [hamilton.rt@ufc.br]
Equipe: Ronieri Figueiredo Alencar, Pedro Ivo Vieira Mota e Letícia Gadelha Mendes (estudantes de graduação voluntários)
Sinopse: Objetiva melhorar o processo de comunicação entre fabricantes de cosméticos e os consumidores finais desses produtos, por meio da criação e disponibilização de um instrumento de controle vocabular e consulta terminológica específica da área farmacológica e cosmética.

DISSONÂNCIA COGNITIVA: OS DETERMINANTES DA INCOERÊNCIA RESULTANTES DAS PERCEPÇÕES DE SIGNIFICANTES NOTICIADOS COMO FONTES DE DEFORMAÇÕES RECORRENTES ENTRE INDIVÍDUOS

Área temática: Teoria da Informação e da Comunicação, Teoria do Psiquismo
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Antonio Wagner Chacon Silva [ciberwagner@yahoo.com.br]
Sinopse: Investigação sobre relações entre a teoria da cognição de Santiago, algumas teorias da informação e da comunicação, bem como algumas teorias do psiquismo, elaboradas por Freud e Lacan, com a teoria da dissonância cognitiva, de Leon Festinger, objetivando verificar sua ocorrência a partir da recepção de “fake news”.

ESTRATÉGIAS MEDIACIONAIS DA INFORMAÇÃO: O RUMO CEARENSE EM TRAVESSIAS TECNOLÓGICAS NORDESTINAS

Área temática: Ciência da Informação, Arquivos Virtuais
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Luiz Tadeu Feitosa [tadeu.feitosa62@ufc.br]
Sinopse: Esta é a continuação de uma pesquisa já em curso desde 2019 e se debruça sobre as trajetórias dos fenômenos dos museus virtuais, das suas ações e dos desdobramentos tecnológicas, em suas mais variadas expressões, tipologias e finalidade e suas respectivas experiências de produção, controle, circulação, difusão e recepção de conteúdos tecnológicos, virtuais, eletrônicos e digitais. Uma pesquisa que se desdobra de uma pesquisa pós-doutoral concluída e que objetiva o mapeamento lusófono, iniciado em Portugal, e com nossa representação no nordeste brasileiro, sobre o que vem sendo chamado de “circum-navegação tecnológica” e que atualizamos nesta pesquisa para “travessias tecnológicas. O objetivo da pesquisa é retroalimentar a pesquisa em Portugal, com uma pesquisa representacional do Brasil, agora voltada às cinco macrorregiões do Brasil. De natureza qualitativa, a pesquisa mapeará as instituições de toda ordem que trabalhem com tecnologias as mais variadas e nos mais variados suportes, com vistas a difundir, informar e comunicar seus conteúdos. Análise documental, institucional e de conteúdos serão o mote desta segunda fase da pesquisa, agora já retroalimentada pela pesquisa que fizemos em Fortaleza e no Estado do Ceará (2019-2020). Espera-se com a pesquisa não apenas cartografar essas instituições e suas ações tecnológicas; não apenas situar Brasil nas travessias tecnológicas de países lusófonos, mas alimentar o nicho investigativo da Biblioteconomia e Ciência da Informação, azeitando suas epistemologias e suas inclinações de pesquisas cujas demandas contemporâneas exigem.

MEDIAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO NO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA:                                                               canais, ações e impactos no desenvolvimento da comunidade acadêmica

Área temática:
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Profa. Maria Giovanna Guedes Farias

Sinopse: O projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a mediação do bibliotecário durante na comunicação científica, a fim de verificar os canais e ações utilizados por este profissional, bem como os impactos deste processo no desenvolvimento da comunidade acadêmica. Espera-se como resultados promover reflexões na comunidade de bibliotecários sobre sua atuação na comunicação científica, mostrando os benefícios e, também, possíveis fragilidades a serem otimizadas, estimulando uma atitude valorativa do seu labor, e, consequentemente, melhorando a relação, atendimento, mediação, produtos e serviços para/com o usuário (comunidade acadêmica), ao atendê-lo em uma perspectiva de que suas ações impactam diretamente na sua formação e produção intelectual.

TERMINOLOGIA FARMAQUÍMICA PRESENTE EM RÓTULOS DE COSMÉTICOS NO BRASIL

Área temática:
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Prof. Dr. Hamilton Rodrigues Tabosa
Sinopse: O projeto visa à criação de uma Terminologia farmaquímica brasileira sobre cosméticos.

MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA ORIUNDAS DOS PROJETOS PIBICR

Área temática:
Subunidade do CH: Depto. Ciências da Informação
Coordenador(a): Profª Gabriela Belmont de Farias
Sinopse: Trata-se de uma pesquisa PIBIC, na qual tem objetivo de mapear a produção científica e tecnológica da Universidade Federal do Ceará por meio dos projetos de pesquisa vinculados à plataforma PIBIC-UFC visando apresentar o quantitativo, a tipologia e canais de comunicação adotados pelos pesquisadores da UFC.

Departamento de Ciências Sociais

MARIELLE VIVE: SIGNIFICADOS SIMBÓLICOS ASSOCIADOS À IMAGEM DA VEREADORA ASSASSINADA

Área temática:
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): Geísa Mattos de Araújo Lima
Equipe: Bolsista PIBIC atual: Euvaldo de Barros Filho (curso de ciências sociais); Bolsistas BIA/PRAE (2019): Jonas de Oliveira Aquino e Rayssa Nascimento (curso de jornalismo); Voluntários: Nair Beatriz Santos e Mateus Tomaz Silva (curso de ciências sociais)
Sinopse: A pesquisa consiste em investigar os significados simbólicos associados à imagem de Marielle
Franco nas redes sociais digitais ligadas a movimentos de favelas, feministas e antirracistas no Brasil e em outros países. Por outro lado, interessa identificar os perfis e símbolos com os quais a imagem de Marielle é atacada no Twitter e YouTube. Busca, assim, compreender o que está em jogo nesta “disputa de narrativas” no contexto contemporâneo social e político do País

“DESAFIANDO A BRANQUITUDE”: EXPERIÊNCIAS POLÍTICO-PEDAGÓGICAS E APRENDIZADOS COM O MOVIMENTO NEGRO NUMA UNIVERSIDADE BRASILEIRA

Área temática:
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a) e Equipe: Geísa Mattos de Araújo Lima
Sinopse: A partir do curso intitulado “Anti-Racismo e Branquitude” ofertado em maio de 2019 no Programa de Pós-Graduação em Sociologia (UFC), as autoras buscam oferecer uma contribuição transnacional para a compreensão de como “branquitude” está se tornando uma “categoria de acusação” para os ativistas negros brasileiros, especialmente no contexto da universidade e das mídias sociais, e como eles se conectam com mudanças culturais mais amplas em torno da questão da raça nas Américas. Projeto de intercâmbio entre o Programa de Pós-Graduação em Sociologia (UFC) e o Programa Ethnicity, Race, and Migration (Yale University), com as professoras Geísa Mattos (UFC) e Ana Ramos-Zayas (Yale University)

AÇÃO AFIRMATIVA E PERDA DE PRIVILÉGIOS: TRAJETÓRIAS INDIVIDUAIS E ANTIPETISMO NO CEARÁ

Área temática: Ciência Política
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a) e Equipe: Jakson Alves de Aquino [jaa@ufc.br]
Sinopse: Séculos de escravidão fomentaram na mentalidade do brasileiro típico a noção de que os brancos descendentes de europeus são superiores aos negros descendentes de africanos. As vidas dos brancos são vistas como mais valiosas do que a dos negros, o que justificaria, em diversas circunstâncias, que os negros vivessem em função do bem-estar dos brancos. O PT foi um dos responsáveis pela aprovação da lei que garantiu direitos trabalhistas às empregadas domésticas, pelo Programa Bolsa Família e pela instituição de uma política de cotas para garantir o ingresso de estudantes negros e de escolas públicas na universidade pública, e por várias outras políticas sociais implementadas entre 2003 e 2016. Essas políticas deram maior poder de barganha aos brasileiros mais pobres, incentivaram a permanência na escola dos filhos dessas pessoas e possibilitaram o ingresso de centenas de milhares de negros e pobres nas melhores universidades do país. O fato é que uma sociedade que há cinco séculos era organizada

O PENSAMENTO MODERNIDADE/COLONIALIDADE: HISTÓRIA, FONTES E CONCEITOS

Área temática: Ciência Política
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): Francisco Uribam Xavier de Holanda [uribam@ufc.br]
Sinopse: O objeto de pesquisa aqui proposto, uma pesquisa histórica e bibliográfica, está definido e delimitado pela ação de resgate histórico da configuração do grupo de intelectuais que vem formulando a chamada Teoria da Modernidade/Colonialidade ou Giro Decolonial; bem como pela sistematização de seus fundamentos teóricos; pela sistematização de seus conceitos e, por fim, pelo registro das diferenças de abordagens entres seus autores. A tese seminal de Aníbal Quijano é a de que foi na América Latina que pela primeira vez se produziu e se estabeleceu o padrão de poder, tornando, nos dias de hoje, globalmente hegemônico, no qual o caráter constitutivo peculiar é a associação entre colonialismo, modernidade e capitalismo. Para ele, a América Latina foi a primeira entidade/identidade histórica do atual sistema mundo colonial moderno e de todo o período da modernidade.

REPLICAÇÃO DE ESTUDOS QUANTITATIVOS UTILIZANDO MÉTODOS DE ANÁLISE QUALITATIVA COMPARADA (QCA)

Área temática: Metodologia da Pesquisa em Ciências Sociais
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): Clayton M. Cunha Filho [cunhafilho@ufc.br]
Equipe: Fidel Irving Pérez Flores (UnB)
Sinopse: Propostos por Charles Ragin no final dos anos 1980, os métodos de análise qualitativa comparada (QCA) têm testemunhado um importante desenvolvimento. A crescente aceitação que vêm adquirindo, – sobretudo após a complexificação trazida ao método pela adoção da lógica de conjuntos difusos (fuzzy-sets) a partir dos anos 2000 – no entanto, ainda desperta desconfianças por parte de importantes adeptos dos métodos estatísticos quanto à robustez e validade de seus achados. Ao mesmo tempo, outros questionam o que esta metodologia agregaria a mais à disciplina que os métodos predominantes já não o façam. Entretanto, metodólogos como Gary Goertz e J. Mahoney defendem a importância de ambos comparando-os a duas culturas metodológicas distintas, que responderiam a formatos e indagações de pesquisa diferentes, sendo uma e outra mais adequada a determinados tipos de perguntas e oferecendo respostas de natureza ontologicamente distinta. Mas até que ponto a metáfora é válida? Essa pesquisa se propõe a replicar pesquisas quantitativas consideradas exemplares, com o objetivo de verificar o que se pode ganhar ou perder em termos explicativos, passando de um método ao outro.

ANTIPETISMO NAS ELEIÇÕES 2018

Área temática: Sociologia e Ciência Política
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): Monalisa Soares Lopes [monalisasoares@ufc.br]
Equipe: Carolina Sousa Lessa (bolsista)
Sinopse: O projeto de pesquisa toma como objeto a produção de narrativas políticas na eleição presidencial de 2018, com ênfase nos discursos de teor antipetista promovidos pelas candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (REDE) e Alvaro Dias (PODEMOS). As narrativas políticas são reveladoras das estratégias discursivas acionadas pelos agentes políticos com vistas a conquistar a adesão da população na disputa eleitoral. Compreendemos as narrativas políticas na condição de sínteses expositivas de formas simbólicas instituintes de representações sociais, definidoras dos atores políticos e de seus projetos. Esta é uma dinâmica relacional, ao produzir uma narrativa sobre si o agente político também produz sobre seus opositores. A produção de narrativas políticas é fortemente impactada pela midiatização da esfera pública, caracterizada pelo fato de que o acesso às informações e opiniões sobre os acontecimentos políticos ocorre através, sobretudo, dos meios de comunicação em detrimento da discussão pública na interação face a face das questões políticas (HABERMAS, 2014). Mais recentemente, além dos meios de comunicação tradicionais, tem ocorrido também o avanço das redes sociais como espaço de produção e veiculação de narrativas. Considerando os pressupostos teóricos acima indicados, para compreender as narrativas políticas propomos uma metodologia que se centra na análise da produção de enquadramentos interpretativos (PORTO, 2002) pelos agentes políticos. O corpus da análise abrange as peças do Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE) dos candidatos nas eleições 2018, assim como alguns materiais produzidos pelas candidaturas para a redes sociais. Por meio desta proposta, esperamos contribuir com as produções que afirmam a importância da produção simbólica para o trabalho político, identificado, em geral, com as movimentações partidárias, a construção da agenda política, etc.
Obra: Interfaces entre antipetismo e bolsonarismo: uma análise da narrativa eleitoral no segundo turno da eleição presidencial. In: SILVA, Emanuel F.; FROTA, Francisco Horácio da Silva.; SILVA, Maria Andrea da Luz.. (Org.). Atores políticos e dinâmicas eleitorais. 1ed. Fortaleza: Edmeta, 2019, v. 1, p. 274-318. (Link para download da obra: https://politicasuece.com/livros)

CONFLITOS SOCIAIS E PRÁTICAS POLÍTICAS: CRUELDADE E VIOLÊNCIA DIFUSA.

Área temática: Sociologia da Violência
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): César Barreira [cbarreira08@gmail.com]
Equipe: André Lucas Maia de Brito e Carolina Holanda Castor
Sinopse: A discussão gerada, atualmente, acerca da violência e de suas consequências está ganhando cada vez mais espaço em nossa sociedade. Nesse sentido, surgem conceitos como o de “violência difusa” e de crueldade,  objetivando dar novos contornos e ampliar nossa percepção do que seria a categoria violência na contemporaneidade. Esta pesquisa abordará, principalmente, o entendimento dos significados das práticas consideradas como violentas, bem como das experiências de insegurança individual e da criação de medos sociais. Dessa forma, iremos refletir não só com procedência nos trabalhos já realizados, a respeito do estado da arte, mas também a partir de eixos analíticos essenciais para compreendermos como a categoria de violência está inserida em nossa sociedade.
Artigo: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922015000100055&lng=pt&tlng=pt

PERCURSOS SOCIAIS E VIDAS CLANDESTINAS

Área temática: Sociologia da Violência
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): César Barreira [cbarreira08@gmail.com]
Equipe: Maria Letícia Paz de Oliveira Assunção e Marília Monteiro dos Santos
Sinopse: Esse projeto abrange o campo da violência política ou institucionalizada, pretendendo analisar práticas do regime militar implantado no Brasil, a partir de 1964, expressivo de violência física e simbólica. De forma mais delimitada buscar-se-á analisar as violações de Direitos Humanos e suas repercussões no interior das Universidades públicas brasileiras, enfocando a repressão após o golpe militar de 1964 e as práticas de militância que foram designadas por resistência universitária, compreendendo, neste contexto, fundamentalmente, as construções e trajetórias de vidas clandestinas. Estudar a violência política e institucionalizada através das memórias de indivíduos que as sofreram e que se articularam em torno das lutas de resistência ao regime militar abrange duas dimensões importantes: a da ética e a do conhecimento propriamente dito a respeito do mundo social. Na primeira com o intuito de evidenciar e trazer à tona lições importantes de nossa história política com vistas a não repetirmos o passado autoritário e construirmos um futuro mais democrático. No que tange à dimensão analítica sobre o mundo social têm relevância a importância da metodologia da história oral e do uso das memórias coletivas como produção de conhecimento a respeito das relações sociais e da história de um país.

VIOLÊNCIA, CRUELDADE E NOVAS PRÁTICAS DE SOCIABILIDADE

Área temática: Sociologia da Violência
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): César Barreira [cbarreira08@gmail.com]
Equipe: Dione Maria Almeida Marques, Maria Letícia Paz de Oliveira Assunção, Marília Monteiro dos Santos, Maurício Bastos Russo.
Sinopse: Este projeto submetido ao próximo período de bolsa denomina-se “Violência, crueldade e novas práticas de sociabilidade”, abrangendo dois grandes eixos de estudo. A primeira situação a ser analisada concentra-se em um personagem da história portuguesa, conhecido como Zé do Telhado que tem como distintivo imaginário o fato de “roubar dos ricos para distribuir com os pobres”, assumindo, neste sentido, o lugar de “repartidor público”. A pesquisa referente a este eixo tem como objetivo bem concreto a montagem de um livro sobre o personagem que foi resultado de uma investigação realizada em Portugal e Angola. A parte inicial deste trabalho será sistematizar um material de pesquisa já coletado, partindo em seguida para a escrita da obra. O segundo eixo de pesquisa tem como referência o que venho designando por “violência difusa” e crimes cruéis, abrangendo marcas recentes da crueldade, medo e insegurança vigentes na sociedade brasileira. Trata-se de compreender modificações nas formas de violência que comportam altas taxas de homicídio, assumindo a conotação definida pelo senso comum, de “crueldade”.

TURISMO, PARQUES NACIONAIS E POPULAÇÕES LOCAIS: CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS EM JERICOACOARA, CEARÁ.

Área temática: Antropologia do Turismo
Subunidade do CH: Depto. Ciências Sociais
Coordenador(a): Lea Carvalho Rodrigues [leaufc@gmail.com]
Equipe: Lucas Oliveira (bolsista PIBITI) – Graduação, Helenita Maria Teixeira Marques Martins (ex bolsista CNPq – graduada)
Sinopse: O objetivo é realizar um estudo etnográfico na Vila de Jericoacoara, Ceará, acompanhando o processo de implementação de políticas de expansão do turismo na localidade, sobretudo pela recente construção de um aeroporto internacional no vizinho município de Cruz e o projeto atual de parceria público-privada (PPP) para manutenção e controle do Parque Nacional de Jericoacoara – PNJ, dentro do qual se localiza a vila. Esta pertence ao município de Jijoca de Jericoacoara, sendo o destino turístico de maior potencial de expansão no Ceará em razão de suas belezas naturais. A peculiaridade de Jericoacoara é que os limites do Parque Nacional circundam a vila, de forma que para se atingir a sede do município é preciso atravessar 15 quilômetros de areal dentro do PNJ. O anúncio recente de que o parque será objeto de parceria público-privada para sua manutenção e controle, com cercamento e cobrança de taxas de visitação, vem gerando polêmica na sociedade local, o que motivou a formulação deste projeto de pesquisa.O estudo, portanto, trata da temática turismo e meio ambiente e adentra questões relativas às políticas públicas que a um só tempo incentivam e regram as atividades de turismo e o acesso e manejo de recursos naturais nas unidades de conservação no país. A problemática central diz respeito aos efeitos dessas políticas sobre moradores e meio ambiente e a interferência no turismo que ali é praticado. A metodologia é qualitativa, baseada no método etnográfico, com trabalho de campo intensivo, observação, participação no cotidiano da localidade e realização de entrevistas aprofundadas; do ponto de vista metodológico e analítico se vale da análise situacional, do estudo de rede de relações e da ecologia política. Os resultados da pesquisa deverão contribuir para as reflexões na área das ciências sociais, enfatizando a importância do turismo para as reflexões contemporâneas sobre trabalho, lazer, fluxos migratórios, inclusão social, desenvolvimento, sociedade e ambiente.
Publicação: http://www.periodicos.ufc.br/aval/article/view/42844

 

Departamento de História

A CIDADELA DOS POBRES: AÇÕES DIRETAS DE RETIRANTES DAS SECAS EM FORTALEZA (1877-1915)

Área temática: História
Subunidade do CH: Depto. História
Coordenador(a):  Frederico de Castro Neves [fredneve@ufc.br]
Equipe: Tyrone Apollo Candido, Karoline Queiroz, Francisco Ramon de Matos Maciel, Romário Bastos, Eduardo Parente, Maria Ivanda da Silva, Francisco Magnel Carvalho Rodrigues, Assis Daniel Gomes, Juliana Magalhães Linhares, Renata Felipe Monteiro, Monyse Ravenna Sousa Barros, Camie Lima Pontes, Brenda Timbó Mendes
Sinopse: A pesquisa busca examinar o protagonismo dos pobres camponeses retirantes das secas, em busca por melhores condições de vida, na cidade de Fortaleza, entre os anos de 1877 e 1915. Através de fontes hemerográficas, cartoriais, policiais e outras, procura-se destacar a presença destes sujeitos sociais em seus aspectos subjetivos e políticos. São privilegiados, na pesquisa, os períodos em que secas desorganizam a economia familiar, fazendo com que esses camponeses desloquem-se por todo o território e pelas cidades, buscando retomar redes tradicionais de proteção e, ao mesmo tempo, criando novos mecanismos políticos de pressão sobre as autoridades e sobre os poderosos.
Site: https://gtseca.wordpress.com/

MAPEAMENTO HISTÓRICO E ETNOGRÁFICO DAS POPULAÇÕES INDÍGENAS NO CEARÁ (SÉCULOS XVII-XVIII)

Área temática: História indígena do Ceará
Subunidade do CH: Depto. História
Coordenador(a): Almir Leal de Oliveira [almirleal@uol.com.br]
Equipe: Integrantes do Grupo de Pesquisa ‘Ceará Colonial: economia, memória e sociedade’ (Diretório CNPq).
Sinopse: mapeamento histórico e etnográfico das populações indígenas no Ceará nos séculos XVII-XVIII tem como objetivo primeiro o de qualificar historicamente os movimentos de diáspora e de guerras culturais vividas por estes povos na perspectiva de aprofundar o nosso conhecimento sobre a história da Conquista e de identificar geograficamente os deslocamentos realizados, as experiências de resistência, as formas de guerra e os acordos realizados ao longo desta período.

GRUPO DE PESQUISA – HISTÓRIA, LOUCURA E SAÚDE MENTAL (GPHLSM)

Área temática: História
Subunidade do CH: Depto. História
Coordenador(a): Cláudia Freitas de Oliveira [claudia.oliveira@ufc.br]
Equipe: Carlos Alberto Cunha Miranda, Helmara Giccelli Formiga Wanderley, Mariana Tavares Cavalcanti Liberato, Nádia Maria Weber Santos (pesquisadores externos a UFC)
Sinopse: O grupo de pesquisa, cadastrado no Diretório de Pesquisa CNPQ desde 2016, problematiza noções sobre loucura e saúde mental como objeto e possibilidade de campo de pesquisa. Estabelece diálogos entre a História e as distintas linguagens e áreas do conhecimento humano enquanto construções historicamente produzidas por mulheres e homens em diversas espacialidades e temporalidades.

POLÍTICAS CULTURAIS, PATRIMÔNIO E TURISMO: O LUGAR DO CEARÁ NAS REPRESENTAÇÕES DO PATRIMÔNIO DO NORDESTE

Área temática: História e Patrimônio Cultural
Subunidade do CH: Depto. História
Coordenador(a): Antonio Gilberto Ramos Nogueira [agilrnogueira@ufc.br]
Equipe:  Bolsistas-PIBIC: Luciane Ângelo de Souza (FUNCAP) e Raissa Freitas Alves (Voluntária); Bolsista CNPq (Mestrado) Ulysses Santiago de Carvalho. Projeto Literatura de Cordel: a (re)construção da identidade cultural cearense a partir da atuação dos intelectuais do Centro de Referência Cultural do Ceará (19975-1990).
Sinopse: A história do patrimônio cultural, como declarou Domenique Poulot (2009), é a “história da construção do sentido de identidade”, forjada no âmbito das políticas públicas de preservação. No período compreendido entre a ditadura civil-militar e o processo de redemocratização no Brasil, uma constelação de projetos e ações instrumentalizaram as orientações doutrinárias da investida do Estado nos domínios da cultura. No Ceará, a experiência do Centro de Referência Cultural do Estado – CERES (1975-1990), se inscreve no movimento de mapeamento e registro audiovisual da memória da cultura tradicional popular, sintomas do papel que o folclore e o artesanato passam a ocupar como vetores de uma cultura do Nordeste e de uma identidade cearense. Inserida no processo de reconfiguração do campo do patrimônio cultural, a “dinamização da cultura” vai ser operada em correspondência com os anseios de desenvolvimento local, representados pela emergência de uma política de turismo que alçava (re)descobrir o Nordeste. Dando prosseguimento ao inventário analítico de fontes hemerográficas que, somado às entrevistas realizadas e compulsa a documentos oficiais relacionados às políticas do patrimônio cultural e do turismo, objetivamos compreender como a tríade cultura, patrimônio e turismo passou a funcionar como marcador das singularidades regionais, visando garantir o lugar do Ceará nas representações do patrimônio do nordeste por meio da fabricação do popular.
Site: https://www.gtpatrimonioanpuh.com.br/
Facebook: Grupo de Estudo e Pesquisa em Patrimônio e Memória (GEPPM)
Instagram: geppmufc e gtpatrimonioanpuh
Artigos: https://seer.ufrgs.br/anos90/article/view/82985/51366 e http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/157106/152518

 

RIO JAGUARIBE: HISTÓRIA, MEMÓRIA E PAISAGEM

Área Temática: Trabalho e Migrações
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Adelaide Maria Gonçalves Pereira – adelaidemgpereira@terra.com.br
Equipe: Adelaide Maria Gonçalves Pereira – Coordenador / Eurípedes Antônio Funes – Integrante / Kênia Sousa Rios – Integrante.
Sinopse: Descrição: Este projeto de pesquisa tem a intenção de interpretar no diálogo da História com outras ciências, as várias conexões do Rio Jaguaribe com a paisagem que ele constitui ao mesmo tempo que é por ela constituída.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Situação: 2007 – Atual

OS SOLDADOS DA BORRACHA E O ARQUIVO DE JEAN PIERRE CHABLOZ

Área Temática: Trabalho e Migrações
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Adelaide Maria Gonçalves Pereira – adelaidemgpereira@terra.com.br
Equipe: Integrantes: Adelaide Maria Gonçalves Pereira – Coordenador / Francisco Regis Lopes – Integrante / Eurípedes Antônio Funes – Integrante / Kênia Sousa Rios – Integrante / João Ernanik Furtado Filho – Integrante.
Sinopse: A partir do acervo de imagens e outros documentos compostos por Jean Pierre Chabloz, encarregado de produzir o material visual da campanha pela borracha, fazemos uma reflexão sobre a vinda de.
Situação: 2007-Atual

PROSPECÇÕES DARWINISTAS NO LITORAL DO NORDESTE DO BRASIL: HISTÓRIA E BIODIVERSIDADE

Área Temática: História e memória
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Almir Leal de Oliveira – almirleal@uol.com.br
Equipe: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2)
Sinopse: O objetivo desta pesquisa é reunir informações empíricas para enfatizar a inserção do litoral Norte-Nordeste do Brasil no debate darwinista, especialmente analisando a sistemática zoológica produzida por um grupo de naturalistas norte-americanos, comparando esta produção com a sistemática produzida no Museu Nacional do Rio de Janeiro e no Museu Paraense Emilio Goeldi. As referências deste objeto são encontradas nas descrições naturalistas produzidas pela Expedição Branner-Agassiz ao Brasil, 1899 e a Expedição de Stanford ao Brasil, 1911. Estas expedições foram coordenadas pro John Casper Branner, geólogo que, trabalhou um longo tempo com os zoólogos David Starr Jordan e Vernon Kellogg na Universidade de Stanford. Eles trabalharam com modelos de variação das espécies e as suas práticas científicas incluíam uma variedade de métodos da história natural, como os registros biogeográficos, a taxonomia sistemática (leis de distribuição das espécies), perspectivas ecológicas e pesquisa de grupo (geologia e biologia). Estas expedições documentaram a biogeografia da vida marinha para compreender o lugar do isolamento na divergência das características de espécies separadas pro barreiras naturais. A taxonomia desenvolvida por estes estudos envolve um conhecimento que associou os modelos das antigas práticas da história natural com modernas práticas do campo biológico. Este tipo de pesquisa de campo integrou atividades descritivas (morfológicas) com modelos qualitativos de pesquisa. Hoje, os resultados destas expedições estão refletidos em várias instituições científicas nos Estados Unidos, incluindo coleções biológicas e bibliografia. Estes resultados são importantes registros biológicos da biodiversidade brasileira e são relevantes trabalhos científicos darwinistas elaborados por estas expedições num período considerado como “eclipse” da teoria darwinista. Assim, procuramos analisar estas referencias como um todo, enfatizando como práticas científicas e documentos históricos, juntos registraram a zoologia brasileira. A pesquisa pretende ainda comparar estes registros naturais com a prática da sistemática taxonômica produzidas pelas instituições brasileiras no mesmo período. Minha intensão é posicionar estes trabalhos, dados naturais e seus resultados no debate contemporâneo da biologia conservacionista, especialmente em relação às questões evolutivas do litoral brasileiro. O estudo da taxonomia destas coleções e a organização destes dados é uma maneira de re-situar dados históricos como uma contribuição aos estudos conservacionistas e a história do desenvolvimento da biologia evolutiva..
Situação: 2014 – Atual

AMÉRICA LATINA, INTELECTUAIS E POLÍTICA NO JORNAL TRIBUNA POPULAR (1945-1947)

Área Temática: História Cultural
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Amélia de Moura Cavalcante – anameliademelo@gmail.com
Equipe: Alunos envolvidos: Graduação: (2) . Ana Amélia de Moura Cavalcante de Melo – Coordenador / Adriano Sampaio – Integrante / Vanessa Vaz Rodrigues Alves – Integrante.
Sinopse: A pesquisa pretende examinar o jornal Tribuna Popular fundado em 1945 por intelectuais e militante vinculados ao Partido Comunista do Brasil. O jornal circulou durante três anos consecutivos até 1947 quando foi fechado pelo governo Dutra (1946-50), junto com a cassação do registro eleitoral do Partido Comunista. O periódico, pretendia ser um jornal de massa e reunia um grupo de escritores e intelectuais aclamados pela crítica do momento. Nomes como Carlos Drummond de Andrade, Alvaro Moreira, Aidano do Couto Ferraz faziam parte da equipe do jornal. Neste projeto buscamos investigar a presença da América Latina em suas páginas, os temas e discussões que se tornaram relevantes nessa publicação. Procuraremos examinar nele as redes intelectuais, identificando que tipo de literatura e que escritores latino-americanos eram mencionados e apresentados neste importante periódico. A publicação é abordada como lócus privilegiado para a compreensão da importância do escritor neste contexto de pós-guerra. Seu estudo nos possibilita refletir sobre as dimensões políticas e culturais de uma geração de intelectuais e a complexa dinâmica política e social entre os anos 1945-1947..
Situação:2019 – Atual

ONDE É? PESQUISA CARTOGRÁFICA E ENSINO DE HISTÓRIA

Área Temática: Ensino de História
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Carla Sabino Fernandes – anacarlasabinofernandes2@gmail.com
Equipe: Graduação: (12) / Doutorado: (1). Ana Carla Sabino Fernandes – Coordenador / Maria do Céu Colares Botelho Neta – Integrante
Sinopse: A historia ensinada deve saber fazer a caminhada até os lugares da historia a partir da cartografia. Afinal, os professores de historia e os estudantes precisam entender o porquê da existência do lugar e sobre as pessoas que viveram ou vivem por lá. Mas, onde é o “lá”? O leah apresenta o projeto de pesquisa: “Onde é? Pesquisa Cartográfica e Aprendizado Histórico”. Com a participação dos estudantes pesquisadores do Curso de História da UFC. A realização do projeto teve início em Abril de 2019 e será desenvolvido ao longo do ano.
Situação: 2019 – Atual

O ARQUIVO DO ESTUDANTE DE HISTÓRIA NA ESCOLA: FORMAÇÃO DOCENTE E APRENDIZAGEM HISTÓRICA

Área Temática: Ensino de História
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Carla Sabino Fernandes – anacarlasabinofernandes2@gmail.com
Equipe: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Doutorado: (1) . Ana Carla Sabino Fernandes – Coordenador / GARCIA, Ana Karine Martins – Integrante / Maria do Céu Colares Botelho Neta – Integrante / Bruna Alves de Araújo – Integrante / YTALO DOS SANTOS LIMA – Integrante.
Sinopse: O projeto de pesquisa tem como fonte e objeto as narrativas estudantis escolares suscitadas a partir das aulas de história. Essas narrativas são fundamentais para a compreensão dos processos de aprendizagem histórica dos alunos da escola e para o fomento da docência significativa dos futuros professores. A pesquisa-ação acontece entre o laboratório de ensino e aprendizagem em história (LEAH-dept° de história UFC) e com as escolas-campo parceiras dos programas de iniciação à docência do dept° de história UFC, como o Residência Pedagógica História, ambos coordenados por mim. A pesquisa trata das possibilidades de interseção entre os saberes e as práticas arquivísticas e as ideias históricas de estudantes do ensino médio (EM), considerando o “quefazer” arquivístico e os conceitos de Registro, Narrativa e Aprendizagem Histórica. Os instrumentos de pesquisa produzidos com a pesquisa-ação nos orientam para a criação do Arquivo do Estudante de História na Escola, considerando a acumulação, em formato de dossiês individuais, das atividades escolares (propostas a partir de fontes históricas) realizadas pelos estudantes do 1° ao 3° ano do EM em sala de aula e em casa. Visando, por fim, a percepção de processos de aprendizagens históricas distintos e o “quefazer” docente mais propositivo. Além de demonstrar a diferença entre o Arquivo da Escola (onde o estudante já É ou deve Ser) e o Arquivo do Estudante (onde o estudante é um Ser em construção), na expectativa de que o conhecimento histórico escolar seja referência e referenciado entre os docentes e discentes e que a Escola possa oferecer para a comunidade universitária e escolar, um bom acervo de pesquisa sobre ensino e aprendizado em História.
Situação:2018 – Atual

CONVERSAS PARALELAS

Área Temática: Ensino de História
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Carla Sabino Fernandes – anacarlasabinofernandes2@gmail.com
Equipe: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . Ana Carla Sabino Fernandes – Coordenador / Maria do Céu Colares Botelho Neta – Integrante / Bruna Alves de Araújo – Integrante.
Sinopse: O projeto Conversas Paralelas, desde 2015, pretende fomentar as sociabilidades e o diálogo entre professores e alunos das escolas e da graduação em História da UFC (especialmente dos estagiários), a partir das perguntas: O que ensinamos quando ensinamos história? Como os estudantes aprendem quando aprendem história?.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Situação: 2015-atual

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ: HISTÓRIA, MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA E PATRIMÔNIO DOCUMENTAL DO CEARÁ.

Área Temática:
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Carla Sabino Fernandes – anacarlasabinofernandes2@gmail.com
Equipe: Ana Carla Sabino Fernandes – Coordenador.
Sinopse: Descrição Geral: Pesquisar e analisar os fundos documentais provenientes e/ou sobre o Arquivo Público do Estado do Ceará (a maior parte desses papéis estão arquivados nessa instituição e/ou no Arquivo Intermediário do Estado – ver inventário desses fundos no item Fontes), no período de 1932 a 1987, para elaboração e publicização (via suportes de comunicação, atividades e produtos desse projeto e capítulo de livro e/ou artigo científico da área de história e/ou arquivologia) de narrativa histórica crítica sobre a constituição do APEC, sob o argumento das práticas culturais, dos processos de patrimonialização, dos usos da memória e da teoria arquivística, e sua relação com a escrita da História do Ceará. Com o intuito de dispor seu material, a documentação de caráter permanente, como pressupostos para estudos de outros pesquisadores, no que remete: a memória da administração pública estadual (destacadamente do poder executivo); as fontes e objetos da pesquisa histórica sobre o Ceará e o papel do arquivo público; a história arquivística do Ceará; aos serviços públicos cartoriais (serviços de transcrições e segundas vias de documentação cartorial); ao que vem a ser patrimônio documental do Ceará e a política cultural da Secretaria da Cultura do Estado.
Situação: 2013-atual

 

SABER HISTÓRICO ESCOLAR, FORMAÇÃO DOCENTE E ARQUIVO DISCENTE DO CURSO DE HISTÓRIA DA UFC: RELATÓRIOS DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM HISTÓRIA I A IV E OS TRABALHOS COMPLEMENTARES DE CURSO (TCC´S).

Área Temática:
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Carla Sabino Fernandes-anacarlasabinofernandes2@gmail.com
Equipe:. Ana Carla Sabino Fernandes – Coordenador.
Sinopse: A Profa. Dra. Ana Carla Sabino Fernandes (bolsista DCR CNPq FUNCAP- Dept° de História UFC) coordena o projeto “Saber Histórico Escolar, Formação Docente e Arquivo Discente do Curso de História da UFC: os Relatórios dos Estágios Supervisionados em História I a IV e os Trabalhos Complementares de Curso (TCC´s) como fonte e objeto de pesquisa para o ensino e aprendizagem em história”, iniciado em 2013.1, contando com a participação voluntária de estudantes da graduação. Ressaltamos que esse trabalho está em consonância com os propósitos do projeto de pesquisa DCR da professora que, por sua vez, associa-se com a geração de atividades de ensino e pesquisa na graduação, especificamente no âmbito do Laboratório de Ensino de História do Dept° de História UFC. Em 2013.2 está prevista a publicização de um Guia de Fontes referente a documentação produzida, descrita e arquivada em 2012.
Situação: 2008-atual

EXPERIÊNCIAS POLÍTICAS E NARRATIVAS DE FEMINISTAS CEARENSES NA ABERTURA POLITICA BRASILEIRA (1979-1985)

Área Temática: História e Gênero
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe:. Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1). Ana Rita Fonteles Duarte – Coordenador / Sarah Pinho da Silva – Integrante / Kiria Samanta da Silva – Integrante / Sofia Barbosa Freitas – Integrante.
Sinopse: As mobilizações políticas pelo fim da ditadura civil-militar brasileira na segunda metade dos anos de1970 proporcionaram a reorganização e surgimento de diversos movimentos sociais: sindicalistas, operários, comunidades eclesiais de base, sem teto, familiares de presos políticos e desaparecidos, negros, homossexuais e também as mulheres. Recebendo influências de movimentos feministas de países da Europa e dos Estados Unidos, a partir da circulação se saberes e práticas no exílio, fortalecidas a partir de experiências políticas do Movimento Feminino pela Anistia e do Movimento Contra a Carestia, muitas mulheres engendraram organizações articuladas entre a reivindicação de questões específicas e a luta contra a ditadura. A ampliação de suas lutas entre mulheres da cidade e do campo despertou a atenção de partidos políticos e organizações clandestinas de esquerda que passaram a participar de seus encontros ou a arregimentar participantes disputando bandeiras de luta, realização de congressos e linhas editoriais de publicações. Eram também vigiadas de perto pelos órgãos de informação e segurança do aparato ditatorial. A dupla resistência, contra a ditadura e contra a tentativa de aparelhamento das entidades políticas, deu o tom de muitos dos embates e ainda está presente em narrativas nos dias de hoje. O presente projeto tem por finalidade recompor e analisar as experiências políticas protagonizadas por mulheres identificadas como feministas no Ceará, especialmente em Fortaleza, em diferentes grupos entre os anos de 1979 e 1985.
Situação: 2019-atual

DISCURSOS SOBRE A TEVÊ NO BRASIL E A CONSTRUÇÃO DE UM TEMPO DA IMAGEM (1964-1985)
Área Temática:
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . Ana Rita Fonteles Duarte – Coordenador / Thiago de Sales Silva – Integrante / Valesca Gomes Rios – Integrante / Caio Brito Barreira – Integrante / Milena Azevedo de Menezes – Integrante.
Sinopse: O presente projeto pretende analisar discursos produzidos por diferentes setores da sociedade brasileira, procurando compreender como esses discursos constroem percepções e posicionamentos sobre a tevê como experiência tecnológica nova, num contexto de modernização conservadora, promovido por um regime político autoritário, aproximando-se, negociando ou negando as políticas ditatoriais sobre a televisão, num momento de implantação e expansão desse meio de comunicação no Brasil, ajudando a constituir um tempo da imagem no país.
Situação: 2017-atual

MULHERES DE LUTA: FEMINISMO E ESQUERDAS NO BRASIL (1964-1985)

Área Temática: História e Gênero
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Ana Rita Fonteles Duarte – Integrante / Joana Maria Pedro – Integrante / Maise Zucco – Integrante / Janine Gomes da Silva – Integrante / Claudia Regina Nichnig – Integrante / Soraia Carolina de Mello – Integrante / BARBARA MARIA POPADIUK – Integrante / Cintia Lima Crescêncio – Integrante / BINAH IRE VIEIRA MARCELLINO – Integrante / Luísa Briggmann – Integrante / Karina Janz Woitowicz – Integrante / Raísa Adrianne Gomes – Integrante / Valéria Machado – Integrante / Cristina Scheibe Wolff – Coordenador / Elyssan Frota dos Santos – Integrante
Sinopse: A principal problemática deste projeto é a de que o feminismo tem sido um conflito social importante na sociedade brasileira, que se consolidou especialmente na sua interação com grupos de esquerda durante o período da Ditadura (1964-1985) e que, neste período, trouxe significativas mudanças sociais. Partimos assim de uma concepção de conflito social que abrange não somente as lutas por condições materiais de existência e lutas políticas no sentido tradicional, mas também lutas por mudanças culturais e lutas contra hierarquias e preconceitos, no caso especialmente os construídos a partir do gênero. Assim, nosso objetivo é analisar o feminismo percebendo a especificidade da sua constituição enquanto movimento social e conjunto de ideias no Brasil no período da ditadura civil-militar e suas interfaces com as organizações e movimentos de enfrentamento da ditadura: partidos, organizações armadas, movimentos de familiares de presos e desaparecidos, grupos de exiladas/os, entre outros movimentos.
Situação: 2016-atual

ENTRE IMAGENS E TEXTOS: CENSURA E CINEMA NO BRASIL (1964-1985)

Área Temática:
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . Ana Rita Fonteles Duarte – Integrante / Francisco Régis Lopes Ramos – Integrante / Meize Regina de Lucena Lucas – Coordenador / Rafael de Farias Vieira – Integrante / Thiago de Sales Silva – Integrante / Valesca Gomes Rios – Integrante / Raquel Caminha Rocha – Integrante / Jailson Pereira da Silva – Integrante / Caio Brito Barreira – Integrante / Milena Azevedo de Menezes – Integrante / João Alexandre Jatai – Integrante / Pedro Igor Pinto Cunha – Integrante.
Sinopse: O projeto investiga a censura realizada no Brasil no período da ditadura civil militar. A partir dos arquivos situados no Arquivo Nacional em Brasília (DCDP e propaganda) e na ESG (Escola Superior de Guerra investiga a formação dos censores, a prática da censura e os textos que orientavam a prática censória no período.

TEMPORALIDADES DA MEMÓRIA: ESCRITA, ORALIDADE E CULTURA MATERIAL

Área Temática:
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Ana Rita Fonteles Duarte – Integrante / Francisco Régis Lopes Ramos – Coordenador / Kênia Sousa Rios – Integrante / Meize Regina de Lucena Lucas – Integrante / Antônio Luiz Macedo e Silva Filho – Integrante / Antônio Gilberto Ramos Nogueira – Integrante / Welington Sampaio da Silva – Integrante.
Sinopse: Ao problematizar as temporalidades dos trabalhos da memória, o projeto desenvolve pesquisa sobre os modos pelos quais a oralidade, a escrita e a cultura material se constituem como dispositivos mnemônicos historicamente localizados. Incorporando os debates sobre os usos do passado, o projeto leva em consideração as atuais reflexões sobre a teoria da história, com destaque especial para os conceitos de “regimes de historicidade” e “lugares de memória”. Trata-se de um estudo a respeito da produção social da memória como parte dos acordos e das tensões que, a partir de um presente determinado, estabelecem vínculos com o passado e o futuro. Assim entendida, a memória social emerge na qualidade de dispositivo que dá sentido aos modos pelos quais as temporalidades são configuradas.

MEMÓRIA E GÊNERO NO BRASIL

Área Temática: História e Genêro
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Ana Rita Fonteles Duarte – Coordenador / Walter de Carvalho Braga Júnior – Integrante / Sandra Alves Santiago – Integrante / Larissa Almeida Custódio da Silva – Integrante / Marcela Souza Santos – Integrante.
Sinopse: O projeto procura discutir o uso do gênero na construção, nas disputas e usos das memórias que se constituem na historicidade das relações sociais. Entende-se, portanto, que as relações entre os jogos de gênero e os trabalhos da memória ocorrem em circunstâncias específicas e envolvem variadas práticas de poder, tanto no âmbito institucional, quanto nas invenções do cotidiano.

MOVIMENTO DE MULHERES E FEMINISMOS EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR NO CONE SUL (1964-1989)

Área Temática: História e Gênero
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Ana Rita Fonteles Duarte – anaritafonteles@uol.com.br
Equipe: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (5) / Doutorado: (5) . Ana Rita Fonteles Duarte – Integrante / Joana Vieira Borges – Integrante / Joana Maria Pedro – Coordenador / Roselane Neckel – Integrante / Cristina Scheibe Wolff – Integrante / Maise Zucco – Integrante / Maria Cristina Athayde – Integrante / Marcos Fábio Freire Montysuma – Integrante / Gabriela Miranda Marques – Integrante / Ana Maria Veiga – Integrante / Gisele Maria da Silva – Integrante / Isabel Cristina Hentz – Integrante / Anamaria Marcon Venson – Integrante / Justina Franchi Gallina – Integrante.
Sinopse: Entre as narrativas do feminismo que se desenvolveram no Brasil, encontra-se aquela que mostra um percurso iniciado com grupos de consciência, articulados em meio à ditadura militar e apontado como a única maneira de fazer militância, em vista da dificuldade de manifestações e outras formas de atividade política. Apontam, ainda, o ano de 1975 como o grande deflagrador da movimentação feminista, em vista do Ano Internacional da Mulher que, decretado pela ONU, teria proporcionado espaço legítimo e protegido, não somente para as mulheres, mas, também, para os diversos grupos políticos que lutavam contra a ditadura militar; além destes, alguns lutavam por mudança legislativa, entendendo que a igualdade passava por esta transformação. Além disso, tem sido afirmado que as lutas específicas das mulheres, que foram a tônica da Segunda Onda do feminismo, não tiveram espaço na América Latina. Algumas autoras afirmam que, na América Latina, especialmente nos países que enfrentaram ditaduras, muitas vezes foi a resistência a estas e a luta pelos direitos humanos que acabaram por reunir mulheres, cujos grupos, mais tarde e nem sempre, assumiram algumas das bandeiras feministas. Observando-se a narrativa do feminismo na Argentina, nota-se que, neste país, o feminismo começou com grupos de consciência, justamente no intervalo democrático, formado por dois períodos alternados de ditaduras militares, ou seja, entre 1973 e 1976. Entretanto, no Brasil, grupos de consciência surgiram no período mais duro da ditadura, ou seja, em 1972. Assim, o que pretendemos é investigar a maneira como os vários feminismos e movimentos de mulheres se constituíram no Cone Sul, no período de 1964 a 1989, observando a forma como as pessoas narram identificação com o feminismo, a maneira como se organizaram e atuaram, comparando com o que ocorreu no Brasil.

INTELECTUAIS, MEMÓRIA E A ESCRITA DO POPULAR

Área Temática: História e memória
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Antonio Gilberto Ramos Nogueira – antonioantonio@uol.com.br
Equipe: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (4). Antonio Gilberto Ramos Nogueira – Coordenador / Yazid Jorge Guiarães Costa – Integrante / Vagner Silva Ramos Filho – Integrante / Daniel Barreto Lopes – Integrante / David Felício Araújo – Integrante / Ulysses Santiago de Carvalho – Integrante / Roberto Sabino Silva – Integrante / José Italo Bezerra Viana – Integrante / Jorge Luiz Ferreira Lima – Integrante.
Sinopse: Na trajetória das políticas públicas culturais voltadas para a preservação do patrimônio cultural no;Brasil e no Ceará, a relação dos intelectuais com a cultura e a memória tem sido marcada pelo;recurso identitário conferido ao patrimônio. Se tal relação é conformadora de diferentes itinerários;conceituais e distintos usos da cultura popular que foram ganhando significados próprios segundo lugar institucional e regime de temporalidades, a pesquisa sobre a experiência dos intelectuais que;integraram o Centro de Referência Cultural do Ceará-CERES tem sinalizado para os deslocamentos e usos regionais da cultura popular nas três últimas décadas do século XX.Entendendo os empreendimentos do CERES como marco importante na constituição de um campo;de saber especializado voltado para o estudo e o registro do saber-fazer e da memória da cultura;tradicional popular no Ceará, objetivamos compreender como uma escrita do popular foi se delineando no fazer-se da experiência desses intelectuais em processo de formação. A partir do mapeamento e inventário analítico de fontes hemerográficas e entrevistas, buscamos compreender como uma escrita do popular se articula em iterface com as políticas culturais no sentido de promover um sentimento identitário em escala regional e local; interessa também perceber de forma mais ampla e pormenorizada a atuação dos intelectuais e os domínios da cultura no contexto de um período marcado pelo processo de redemocratização do país e das novas diretrizes nacionais sobre a preservação do patrimônio cultural.

INTELECTUAIS, CULTURA E MEMÓRIA

Área Temática: História cultural
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Antonio Gilberto Ramos Nogueira – antonioantonio@uol.com.br
Equipe: Graduação: (3) . Antonio Gilberto Ramos Nogueira – Coordenador.
Sinopse: A pesquisa tem por objetivo entender a experiência dos intelectuais envolvidos nos trabalhos da memória tendo como ponto de partida a política cultural de preservação do patrimônio cultural desenvolvida no âmbito da Secretaria de Cultura do estado do Ceará, sobretudo, no Centro de Referência Cultural do Estado-CERES. Tal proposta se impõe em seu duplo objetivo: de um lado, suprir determinadas lacunas identificadas quanto à metodologia aplicada no mapeamento e registro do popular, estrutura e organização administrativa do Centro, noções de cultura popular e patrimônio que orientaram a produção da memória; de outro lado, o instrumental da História Oral nos permitirá conhecer a emergência de um campo de estudos da cultura popular e do patrimônio imaterial no Estado, tendo em vista que os indivíduos engajados neste trabalho de registro ainda se encontravam em formação intelectual e viriam a compor uma importante expressão do pensamento cearense em fins do século XX.

TEMPORALIDADES DA MEMÓRIA: ESCRITAS, ORALIDADES E CULTURA MATERIAL

Área Temática: História Cultural
Subunidade do CH: Departamento de História
Coordenador: Antonio Gilberto Ramos Nogueira – antonioantonio@uol.com.br
Equipe: Antonio Gilberto Ramos Nogueira – Integrante / Francisco Régis Lopes Ramos – Coordenador / Kênia Souza Rios – Integrante / Meize Regina de Lucena Lucas – Integrante / Antonio Luiz Macêdo e Silva Filho – Integrante.
Sinopse: Ao problematizar as temporalidades dos trabalhos da memória, o projeto desenvolve pesquisa sobre os modos pelos quais a oralidade, a escrita e a cultura material se constituem como dispositivos mnemônicos historicamente localizados. Incorporando os debates sobre os usos do passado, o projeto leva em consideração as atuais reflexões sobre a teoria da história, com destaque especial para os conceitos de regimes de historicidade e lugares de memória. Trata-se de um estudo a respeito da produção social da memória como parte dos acordos e das tensões que, a partir de um presente determinado, estabelecem vínculos com o passado e o futuro. Assim entendida, a memória social emerge na qualidade de dispositivo que dá sentido aos modos pelos quais as temporalidades são configuradas.

 

Departamento de Letras Estrangeiras

ANÁLISE SOCIOLINGUÍSTICA DAS FORMAS DE TRATAMENTO DE SEGUNDA PESSOA DO SINGULAR NAS VARIEDADES DO ESPANHOL PENINSULAR: ETAPA I (VALÊNCIA)

Área temática: Descrição e Análise Linguística
Subunidade do CH: Depto. Letras Estrangeiras
Coordenador(a): Valdecy de Oliveira Pontes [valdecy.pontes@ufc.br]
Equipe: 01 doutorando (PPGL – UFC), 02 mestrandos (PPLG – UFC), 01 bolsista (PIBIC)
Sinopse: Este projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a variação entre as formas de tratamento tú e usted no espanhol oral da cidade de Valência, Espanha. Basear-nos- emos nos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 1972, 1978, 1994, 2001, 2006, 2008; MORENO FERNÁNDEZ, 1990, 2009; SILVA-CORVALÁN, 1989, 2001, SILVA-CORVALÁN e ENRIQUE-ARIAS, 2017; BLAS ARROYO, 2004; LÓPEZ MORALES, 2004). Analisaremos a influência de variáveis linguísticas (tipo de referente, tipo de frase e tipo de discurso), sociais (idade, sexo e escolaridade) e estilísticas (complexidade do tema, estilo discursivo e relação de proximidade entre os interlocutores) no uso das supracitadas formas. Para isso, a partir de uma metodologia de natureza quali-quantitativa e de caráter descritivo-explicativo, examinaremos dados orais de 36 informantes em entrevistas do tipo semiestruturadas, oriundas do corpus Proyecto para el Estudio Sociolingüístico del Español de Valencia (PRESEVAL).

PROFESSOR, CÂMERA, AÇÃO

Área temática: Formação de Professores
Subunidade do CH: Depto. Letras Estrangeiras
Coordenador(a): Prof.ª Dra. Sara de Paula Lima [profasaralima@gmail.com]
Sinopse: O projeto analisa a inserção da tecnologia no fazer docente a partir da produção técnica de videoaulas para o ensino de línguas estrangeiras. Portanto, trata de analisar as etapas de produção de uma videoaula (Elaboração do roteiro; Captura da imagem e do som; Edição do material audiovisual; Divulgação em redes sociais da videoaula).
Site: www.tecle.ufc.br
Instagram: grupotecleufc
YouTube: TECLE UFC

Departamento de Letras Vernáculas

SABERES MOBILIZADOS EM SITUAÇÃO DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O ENSINO DA ANÁLISE LINGUÍSTICA/SEMIÓTICA

Área temática: Linguística Aplicada
Subunidade do CH: Depto. Letras Vernáculas
Coordenador(a): Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin [eulaliaufc@gmail.com]
Equipe: Ana Angélica Lima Gondim, Ana Edilza de Souza, Larissa Ferreira, Meire Celedonio da Silva e Carlos Héric Martins
Sinopse: A pesquisa é de cunho interinstitucional. Na Universidade Federal do Ceará ,está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Linguística, do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal do Ceará, dentro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Linguística Aplicada, sob o título “Saberes mobilizados em situação de formação do professor para o ensino da análise linguística/semiótica.” A equipe envolvida é composta de seis pesquisadoras de instituições diferentes (Universidade Federal do Ceará, Universidade Estadual do Piauí, Universidade Federa do Piauí e Unifacex) atuando em quatro estados nordestinos (Ceará, Piauí, Bahia e Rio Grande do Norte). Traz em evidência a formação de professores de línguas e, por essa razão, também está atrelado a questões sobre o Ensino e aprendizagem no contexto da educação Básica.A pesquisa está situada na sala de aula de português língua materna, português língua estrangeira e francês língua estrangeira. Ela trata da interação didática (Cicurel, 2010) da sala de aula de análise linguística/semiótica, enfatiza o repertório didático (Cicurel, 2010) do professor da Educação Básica e do professor em formação inicial, que é constituído de saberes (Hofstetter e Schnuwly, 2010; Vanhulle, 2010; Leurquin, 2018) e identifica os conflitos oriundos dos impedimentos e intenções envolvidos na sala de aula, geradores dos modalizadores do agir professoral (Leurquin 2017). Ela investigação possui três etapas que são desenvolvidas durante três anos.

HISTORICIDADE DOS TEXTOS E ENSINO: UMA INTERFACE ENTRE TRADIÇÕES DISCURSIVAS E INTERACIONISMO SOCIODISCURSIVO

Área temática: Linguística Aplicada
Subunidade do CH: Depto. Letras Vernáculas
Coordenador(a): Aurea Suely Zavam (UFC) [aurea.ufc@gmail.com]
Equipe: Valéria Severina Gomes (UFRPE)
Sinopse: A proposta é desenvolver estudos voltados para o enriquecimento das diferentes práticas de linguagem que envolvem os quatro eixos de ensino da língua na educação básica: oralidade, leitura, escrita e análise linguística/semiótica. O objetivo geral é investigar a inclusão dos estudos sobre a historicidade dos textos e da língua no modelo de sequência didática (SD) ou itinerário de ensino, visando contribuir para a formação docente de modo a repercutir no desenvolvimento da competência comunicativa dos alunos, o que lhes assegurará o exercício pleno da cidadania. A questão que norteia esse objetivo é saber quais dimensões seriam produtivas para o ensino dos gêneros na perspectiva sócio-histórica.

PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO: (MULTI)FUNCIONALIDADE E VARIAÇÃO EM QUATRO CORPORA ORAIS DO CEARÁ

Área temática: Sociofuncionalismo
Subunidade do CH: Depto. de Letras Vernáculas e Programa de Pós-Graduação em Linguística
Coordenador(a): Márluce Coan [coanmalu@ufc.br]
Sinopse: Neste projeto, continuamos nossa empreitada em busca dos pretéritos mais-que-perfeito simples e mais-que-perfeito composto em dados do Ceará. Em etapa anterior, tratamos de dados escritos do Instituto do Ceará; agora, em quatro corpora orais também do Ceará, PORCUFORT, NORPOFOR, PROFALA e TORRES, todos metodologicamente organizados a partir de pressupostos sociolinguísticos, visamos ao mapeamento funcional das ocorrências de pretérito mais-que-perfeito bem como à análise variacionista entre o mais-que-perfeito e outras formas verbais. A escolha desses corpora não é aleatória, pois cada um representa uma possibilidade de encontrarmos uma ou outra das seis funções previstas para o mais-que-perfeito: passado do passado, passado em relação ao momento de fala, passado discursivo, função desiderativa, função conjuntiva e função condicional. Em princípio, julgamos serem recorrentes os usos da forma composta na codificação das funções de passado do passado; passado em relação ao momento de fala e passado discursivo. A forma simples deve ser restrita às projeções (função desiderativa/optativa) e deve aparecer, em menor frequência, nos três primeiros corpora e, em maior escala, no último corpus, por conter, essencialmente, discursos futuros. As outras duas funções (conjuntiva e condicional), por serem residuais, talvez sejam encontradas em alguns dados do PROFALA, especificamente aqueles provindos da área rural. Após mapeamento funcional, as ocorrências serão analisadas à luz de pressupostos sociofuncionalistas em três etapas: (i) a funcional, (ii) a variacionista e (iii) a da triangulação. Na primeira, além da correlação entre forma (simples e composta) e função, os dados serão articulados aos princípios de gramaticalização, iconicidade e marcação. Na segunda etapa, a variacionista, estão previstas para análise as seguintes variáveis/variantes: a) passado do passado (pretérito mais-que-perfeito versus perfeito); b) passado em relação ao momento de fala (pretérito perfeito versus pretérito mais-que-perfeito); c) passado discursivo (pretérito mais-que-perfeito versus perfeito); d) passado conjuntivo (imperfeito do subjuntivo versus mais-que-perfeito) e e) passado condicional (futuro do pretérito versus mais-que-perfeito). Para cada variável, em cada corpus, procederemos à análise quantitativa, por meio do programa Goldvarb X, considerando os seguintes grupos de fatores linguísticos: tipo de verbo; marcador temporal; pessoa discursiva; saliência formal; polaridade e tipo oracional. Quanto aos grupos de fatores extralinguísticos, em virtude da configuração de cada corpus, analisaremos nível de formalidade no PORCUFORT e no NORPOFOR (organizados em três inquéritos: elocução formal, entrevista e diálogo), escolaridade no NORPOFOR e no PROFALA (já que os outros dois têm somente informantes universitários), área rural-urbana no PROFALA (único a considerar dados da zona rural) e faixa etária nos quatro corpora. Na terceira etapa, com o propósito de evidenciar tendências de uso e tecer generalizações, compararemos os resultados obtidos em análise de cada corpus e procederemos à triangulação dos resultados. Ao tratar da correlação entre dados reais e pressupostos teóricos sociofuncionalistas, nossa proposta alinha-se a outras pesquisas sobre verbos em cenário nacional, contribuindo para a descrição do Português do Brasil. Além disso, põe em destaque dados do Ceará, o que possibilita valorização e divulgação dos corpora aqui constituídos.

 

 Departamento de Letras-Libras e Estudos Surdos

AQUISIÇÃO DA LIBRAS NA PERSPECTIVA BILÍNGUE – DESAFIO TRANSDISCIPLINAR AO PROFISSIONAL DA SAÚDE E DA EDUCAÇÃO

Área temática: Ciências Humanas
Subunidade do CH: Depto. Letras Libras e Estudos Surdos
Coordenador(a): Marilene Calderaro da Silva Munguba [marilenemunguba@delles.ufc.br]
Sinopse: A proposta investigativa se constitui numa parceria da Universidade Federal do Ceará – UFC com a Universidade de Fortaleza – UNIFOR, mais especificamente, do Departamento de letras libras e Estudos Surdos – DELLES com o Núcleo de Atendimento Médico Integrado – NAMI. O projeto está em consonância com proporcionar o desenvolvimento da práxis transdisciplinar durante a formação do profissional da educação e da saúde, no âmbito da mediação da aquisição da Libras como L1 para surdos e ouvintes, e L2 para familiares ouvintes e profissionais dos serviço, numa perspectiva bilíngue bilíngue e transdisciplinar Vislumbra-se repercussões positivas nas famílias de pessoas surdas, na comunidade surda e nos serviços que têm a pessoa surda como usuária. As ações de pesquisa são desenvolvidas nos setores Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional, por uma equipe coordenada por duas profissionais: uma terapeuta ocupacional e professora do curso Letras Libras da UFC, e por uma fonoaudióloga, profissional da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa); e composta por alunos dos cursos de Letras Libras e Psicologia da UFC, alunos do curso Pedagogia Bilíngue – Licenciatura (EaD – Polo UFC) e dos cursos de Psicologia da UNIFOR, assim como egressos dos cursos Letras Libras (UFC) e dos cursos de Fisioterapia Terapia Ocupacional e Psicologia da UNIFOR. Conta como alunos bolsistas PIBIC. Nessa parceria, tem realizado a práxis mediante pesquisa desde o segundo semestre de 2018.

 

Departamento de Estudos da Língua Inglesa, suas Literaturas e Tradução

LETRARE – LABORATÓRIO DE EDIÇÃO, TRADUÇÃO E REVISÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS DA UFC

Área temática: Tradução
Subunidade do CH: Depto. Estudos da Língua Inglesa, suas Literaturas e Tradução
Coordenador(a): Diana Costa Fortier Silva (Coord.Geral) [fortier.diana@gmail.com], Marcia Gradvohl (Coord), e Tadeu Azevedo (Supervisor)
Equipe: Amabelle Brena Dantas da Silva Débora Raquel de Lima Nascimento Fábio Martins de Macêdo Halliday Fernandes de Almeida Isabelly Maia Lima Larissa Teixeira da Costa Marina Pôrto Almeida Mylena Braga de Souza Raimundo Bruno Lopes Mariano Vanessa Alexandre Siqueira (Bolsistas).
Sinopse: O LETRARE – Laboratório de Edição, TRAdução e REvisão de textos acadêmicos da UFC – surgiu como uma iniciativa da PROINTER, por meio do Programa Idiomas Sem Fronteiras – IsF/UFC, com o apoio da PRPPG, e faz parte do conjunto de ações de internacionalização da Universidade. O objetivo do LETRARE é funcionar como um laboratório destinado 1) à prestação de serviços de revisão de textos à comunidade acadêmica da UFC, no par português-inglês, direção PT>EN, com o objetivo de colaborar para um aumento da quantidade de publicações dos pesquisadores da UFC em periódicos internacionais; 2) ao aprendizado das técnicas edição, revisão e tradução de textos acadêmicos, por parte de um grupo de bolsistas, atuando enquanto editores/revisores/tradutores em formação; 3) à formação de pesquisadores em tradução, especialmente no que tange questões de prática tradutória referentes a textos de gêneros acadêmicos, principalmente artigos científicos.
Site: https://prointer.ufc.br/pt/plataforma-letrare/

BENEFÍCIO DA PRÉ-VISUALIZAÇÃO NA LEITURA NO PORTUGUÊS BRASILEIRO COMO LÍNGUA MATERNA E NA LÍNGUA ESTRANGEIRA DE LEITORES ADULTOS

Área temática: Cognição, Leitura, Psicolinguística
Subunidade do CH: Depto. de Estudos da Língua Inglesa, suas Literaturas e Tradução
Coordenador(a): Prof.ª Maria Cristina Micelli Fonseca [mcrismfon@gmail.com]
Equipe: Prof.ª Katerina Lukasova, Isabel Bender, Ana Amélia Meneses
Sinopse: O presente projeto tem como objetivo investigar o benefício da pré-visualização na leitura no português brasileiro como língua materna (L1), e no inglês como língua estrangeira (L2) pelos mesmos sujeitos. A motivação do estudo em L1 vem do fato que, embora, haja dados robustos (DRIEGHE, 2011) de que os olhos apreendem informação da palavra em pré-visualização. Existe uma grande controvérsia no que tange o tipo de informação extraída da palavra parafoveal. No que se refere ao Benefício da Pré-Visualização, há consenso de que a ortografia e a fonologia são extraídas da palavra nessa posição, ou seja, há um processamento ocorrendo com a palavra em posição foveal, e ao mesmo tempo, com a palavra na posição parafoveal. A polêmica se concentra na extração de dados semânticos. Inicialmente apenas o chinês, o coreano e o alemão apresentaram dados que apoiam tal benefício. A grade maioria dos trabalhos conduzidos na língua inglesa, por diferentes pesquisadores, custou a obter o mesmo resultado, tendo que se valer de outras técnicas sendo lida pela fóvea. Somente recentemente trabalhos que se valeram de sinônimos ou a previsibilidade da palavra-alvo (SCHOTTER, 2013; VELDRE-ANDREWS, 2018) conseguiram publicar o efeito semântico no inglês. Os estudos até o momento parecem sugerir que o idioma envolvido pode influenciar os níveis de pré-processamento. A transparência da língua é apontada como um dos obstáculos. A explicação aventada até o momento, é que por ser o inglês uma língua opaca. O fato de seus fonemas poderem ser representados por vários grafemas pode atenuar os efeitos da pré-visualização. Para poder lançar luz sobre essa questão é necessário que outras línguas alfabéticas mais transparentes sejam estudadas. Essa pesquisa é proposta para preencher essa lacuna, uma vez que não encontramos estudos com o português (nem o europeu, nem o brasileiro). Esperamos poder trazer mais evidências sobre como se dá a relação do português e o reconhecimento visual das palavras, a fim de revelar a interação da fóvea e da parafóvea na extração das informações sublexicais e lexicais das palavras durante a leitura de sentenças. O que nos instiga a pesquisar os mesmos fenômenos em L2 é poder explorar se a proficiência de leitura na L1, é transferida para a L2, assim como investigar como os níveis lexicais e sub-lexicais de uma língua opaca impacta o estudante que já tem uma língua alfabética.

MULTILINGUISMO E EFEITO DE COGNATOS NA LEITURA

Área temática: Psicolinguística
Subunidade do CH: Depto. de Estudos da Língua Inglesa, suas Literaturas e Tradução
Coordenador(a): Pâmela Freitas Pereira Toassi [pamelatoassi.ufc@gmail.com]
Equipe: Bernhard Angele (Bournemouth University), Timothy J. Stattery (Bournemouth University), Elisangela Nogueira Teixeira (UFC)
Sinopse: Neste projeto buscamos investigar o processo de leitura de multilíngues (Português – Espanhol – Inglês) através da técnica de rastreamento ocular.
Site: https://plibimult.ufc.br/
Facebook: plibimult
Instagram: plibimult

 

Departamento de Literatura

ZOOLITERATURA INFANTIL: DIMENSÕES NA CONTEMPORANEIDADE

Área temática: Literatura Comparada
Subunidade do CH: Depto. Literatura
Coordenador(a): Fernanda Maria Abreu Coutinho [fernandacoutinho2@gmail.com]
Sinopse: O projeto de pesquisa busca tratar das relações entre a Zooliteratura Infantil Contemporânea e o universo animal. O registro cronológico do adjetivo contemporâneo apresenta como marco inicial as décadas finais do século XX. A aproximação entre ambas as instâncias será feita através da leitura de obras, que diretamente escritas para elas, ou a elas chegadas por caminhos oblíquos, têm as crianças como público receptor.
Site: Estação Literária

O MAL E SUAS VERTENTES NA LITERATURA

Área temática: Literatura comparada
Subunidade do CH: Depto. Literatura
Coordenador(a): Ana Marcia Alves Siqueira [ana.siqueira@ufc.br]
Equipe: Paulo Victor Mascarenhas dos Santos, Marta Nayara Freitas, Clarissa Paiva de Freitas, Felipe Hélio da Silva Dezidério, Romildo Biar Monteiro, Sarah Pinto de Holanda, Francisca Carolina Lima da Silva, Antônio Euclides Vega de Pitombeira e Nogueira Holanda, Thaís Santos Frota.
Sinopse: A existência do mal é incontestável na história humana; todavia, por ser um conceito escorregadio, defini-lo é cada vez mais problemático. Quando se trata de literatura o tema é ainda mais interessante, visto que o mal em suas diferentes facetas o horror, o crime, a violência, a tragédia, o sofrimento e/ou a dor infringidos tem leitores e público substancial. Destarte, se diferentes pensadores, escritores e poetas buscaram respostas sobre o tema, propomos, nesse projeto de pesquisa, investigar como o tema do mal se reelabora em obras selecionadas, segundo os modos representativos de cada época, de cada sistema literário e cada contexto cultural ao qual está ligada a percepção de cada autor em estudo. Também objetivamos compreender os processos estéticos envolvidos na construção dessas sugestivas formas artísticas e propor interpretações possíveis. Para tanto, a pesquisa impõe uma abordagem transdisciplinar dos fenômenos num entrecruzamento de fronteiras: literatura, estética, filosofia e psicologia, com o intuito de compreender peculiaridades das relações, influências e aproveitamentos literários ligados ao mal e suas diferentes facetas.
Facebook: Vertentes do Mal

ESTUDOS SOBRE EÇA DE QUEIRÓS

Área temática: Literatura Portuguesa
Subunidade do CH: Depto. Literatura
Coordenador(a): Ana Marcia Alves Siqueira [ana.siqueira@ufc.br]
Equipe: Sayuri Grigório Matsuoka
Sinopse: Na presente pesquisa, é proposto um diálogo com a crítica especializada a respeito da chamada produção diversa de Eça de Queirós buscando promover uma melhor compreensão da ressignificação da matéria prima e dos processos estéticos utilizados. Ou seja, objetivo maior da pesquisa é discutir e compreender o processo de transformação da produção de Eça de Queirós, buscando identificar preocupações estéticas, políticas e sociais recorrentes e integrando-as em uma leitura global das obras.

REPERTÓRIO MÉTRICO DO CANCIONEIRO GERAL DE GARCIA DE RESENDE

Área temática: Literatura Medieval
Subunidade do CH: Depto. Literatura
Coordenador(a): Geraldo Augusto Fernandes [geraldoaugust@uol.com.br]
Sinopse: Pretende-se sistematizar, através de um “repertório métrico”, todos os 880 poemas do Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, com a finalidade de revelar e analisar o modo composicional característico dos poetas palacianos portugueses, de 1449 a 1516. Serão tabulados a métrica, o gênero, o idioma, os pés quebrados, o sistema rimático, além das modalidades ou espécies de poemas. O resultado dessa pesquisa deverá contribuir para a formulação de uma poética implícita própria da poesia palaciana.
Tese completa pode ser acessada online: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8150/tde-15092011-130549/

Departamento de Psicologia

LANGUESCER E FLORESCER EM JOVENS UNIVERSITÁRIOS: ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE FATORES DE RISCO E PROTEÇÃO AO SEU BEM-ESTAR

Área temática: Psicologia Cognitiva
Subunidade do CH: Depto. Psicologia
Coordenador(a): Estefânea Élida da Silva Gusmão [estefanea@gmail.com]
Equipe: Jessica Soares Brasil (bolsista), Rubens Porto Guilhon Filho (bolsista)
Sinopse: O objetivo do presente estudo é verificar a relação entre fatores de risco e proteção para o bem-estar de jovens universitários. Isto é, que relação tem o estresse, a ansiedade e a depressão assim como as forças de caráter apresentados por jovens universitários e a sua satisfação com a vida? A perspectiva teórica em que este se baseia a pesquisa é a Psicologia Positiva, uma vez que esta assenta seu olhar nos elementos positivos da natureza humana como potenciais aliados na promoção do bem-estar das pessoas.
Instagram: napsisufc

AFETIVIDADE, TERRITÓRIO E POLÍTICAS PÚBLICAS: ESTIMA DE LUGAR DE USUÁRIOS DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL (CRAS) EM MARACANAÚ-CE (2ª FASE) 

Área temática: Psicologia Ambiental
Subunidade do CH: Depto. Psicologia
Coordenador(a): Zulmira Áurea Cruz Bomfim   [zulaurea@gmail.com]
Equipe: Ionara Ingrid da Silva Moreira (bolsista remunerada-UFC), Adriana Jales Lacerda Feitosa (bolsista voluntária-UFC)
Sinopse: O referido projeto de pesquisa continua a investigação iniciada em sua primeira fase sobre os afetos dos usuários assistidos por Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) no município de Maracanaú-CE. O referencial teórico adotado para tal pesquisa é a abordagem da Psicologia Histórico-Cultural de Vigotski e da Psicologia Ambiental de enfoque transacional. A relevância do projeto encontra-se no fato de, assim como outras políticas públicas, a Política Nacional de Assistência Social (PNAS) ser uma política territorializada, o que torna importante o conhecimento acerca do lugar. Considerando que a forma como os usuários estimam o território está intimamente relacionada com o seu conhecimento e participação na PNAS, objetiva-se conhecer a Estima de Lugar dos moradores de territórios referenciados pelos CRAS Timbó e CRAS Parque São João em Maracanaú-CE com relação aos território citados, compreendendo o elo entre a Estima de Lugar e processos psicossociais relacionados às desigualdades sociais, avaliando possíveis estratégias de enfrentamento das vulnerabilidades a partir de processos participativos emancipatórios. A metodologia proposta para o projeto de pesquisa em questão é o Instrumento Gerador de Mapas Afetivos (IGMA), que está sendo aplicado junto aos residentes dos territórios investigados. Com o desenvolvimento da pesquisa, pretende-se produzir conhecimento acerca da Psicologia Social e planejamento, execução e avaliação de políticas públicas.

ABRAÇANDO O AUTISMO

Área temática: Educação, Saúde
Subunidade do CH: Depto. Psicologia
Coordenador(a): Estefânea Élida da Silva Gusmão [estefanea@gmail.com]
Equipe: Felipe José Lima Paiva, Helena Carvalho Teles, Mateus Fidel Clark Ayres, Vitória do Carmo de Sousa e Yolanda Moura Vital.
Sinopse: As atividades do projeto Abraçando o Autismo se dedicam à prestação de serviços psicológicos à comunidade no âmbito da saúde psicológica partindo de uma perspectiva empírica e de práticas baseadas em evidências no campo da Psicologia Cognitivo-Comportamental aplicada a pais de crianças diagnosticadas com TEA. Nesse sentido, são realizadas atividades referentes ao manejo de questões envolvidas na parentalidade no contexto do TEA, suporte aos autistas cuja demanda se apresentam necessárias diante do trabalho realizado com os pais e das avaliações e intervenções no acompanhamento da família na instituição. Há também a realização de grupos de estudo nos temas de interesse do projeto, oferecimento de palestras e cursos de curta duração sobre o TEA e  assuntos correlatos ao projeto, incluindo o público de usuários do serviço e os profissionais envolvidos, realização de coleta de dados em momentos distintos do processo interventivo do projeto e elaboração de relatos de pesquisa e extensão a serem apresentados nos eventos da área.
Instagram: abracandooautismo / napsisufc

FLORESCER NA ESCOLA: AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO EM PSICOLOGIA POSITIVA E COGNITIVO- COMPORTAMENTAL COM ESTUDANTES DE FORTALEZA-CE

Área temática: Ciências Humanas
Subunidade do CH: Depto. Psicologia
Coordenador(a): Estefânea Élida da Silva Gusmão [estefanea@gmail.com]
Sinopse: Este projeto objetiva, por meio de intervenções advindas da Psicologia Positiva e da Psicologia Cognitivo-comportamental, fomentar forças e virtudes pessoais como prevenção a problemas psicológicos em estudantes de Ensino Médio do Ensino Público. Busca-se também uma formação em Psicologia que abranja os problemas específicos do público adolescente em contexto escolar, tendo em vista a demanda crescente de atenção psicológica pelo público estudantil e a relevância social da temática educacional.
Instagram: projetoflorescernasescolas

 

Casas de Cultura

CONSTRUÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DA BIBLIOGRAFIA CONTRASTIVA PORTUGUÊS-ALEMÃO

Área temática: Linguística, Linguística Contrastiva, Língua Alemã, Língua Portuguesa
Subunidade do CH: Casa de Cultura Alemã
Coordenador(a): Rogéria Costa Pereira [rogeria_pereira@ufc.br]
Sinopse: O corrente projeto de pesquisa de iniciação científica é de natureza documental-bibliográfica e tem como objetivo constituir um banco de dados da literatura especializada na área da linguística contrastiva alemão-português de 1945 até o presente. Neste primeiro momento, a investigação visa a identificação e localização de referências bibliográficas existentes e a sua colocação em um banco de dados digital. A partir da PIC em tela, objetiva-se, em um futuro projeto com maior alcance, a criação de uma plataforma sustentável de informação e referência na internet que resguarde digitalmente os resultados de pesquisas existentes e que apoie o intercâmbio de informações e a cooperação entre germanistas brasileiros e seus colegas de áreas afins no Brasil e no exterior.

 

 

Acessar Ir para o topo